Tiririca: um palhaço brasileiro ou um brasileiro palhaço?

Pessoal, vejam o artigo a seguir escrito pelo dr. Assízio Aparecido de Oliveira. Mais abaixo, confiram a entrevista do palhaço-candidato Tiririca ao jornalista Fernando Gallo, do jornal Folha de São Paulo.

No e-mail abaixo, Tiririca se autodenomina e nos é apresentado como um palhaço. E de fato é o que ele é, no sentido artístico do termo, uma vez que se dedica profissionalmente à comédia pastelão com o intuito de divertir e fazer rir as platéias que o assistem.

Os políticos se autodenominam e nos são apresentados como defensores do povo, honestos, arautos da democracia, empreendedores, seres coerentes e de bons propósitos e pessoas altamente capacitadas, pessoal, técnica e profissionalmente.

Tiririca, um palhaço, resolve ser político. Um absurdo!

Absurdo, se não me engano, é o que é contrário à razão, ao que é racional. E racional é a qualidade derivada da capacidade humana de avaliar, julgar, ponderar e raciocinar. Façamos, pois, uma comparação entre a absurdez do Tiririca candidato e o racionável da nossa política.

É absurdo o Tiririca dizer que decidiu se candidatar porque sua mãe o aconselhou, porque, assim, daria para ajudar as pessoas mais necessitadas, trabalhar pelos nordestinos, pelas crianças e pelos desfavorecidos. Mas é racional os políticos de sempre prometerem que aumentarão o valor das bolsas sociais que favorecem preponderantemente os nordestinos, construirão casas populares para as pessoas necessitadas, aumentarão o salário mínimo, acabarão com as filas nos hospitais públicos, vão urbanizar as favelas e quintuplicar a quantidade de creches para as criancinhas.

É um absurdo o Tiririca dizer que vai ser um cara popular. Mas é racional que um único político seja, de tempos em tempos, escolhido pelos brasileiros como o cara mais popular do País, mesmo que amparado por um esquema autoritário, demagogo ou populista.

É um absurdo o Tiririca dizer que não “se ligou” ainda como se situar na política. Mas é racional os políticos do partido de plantão no poder se aliarem com os políticos que eles chamavam de ladrões e picaretas não faz muito tempo e que até ajudaram a apear da presidência por improbidade. É racional os políticos do principal partido de oposição se aliar aos políticos que, também não faz muito tempo, detonaram as finanças do estado mais poderoso da federação.

É um absurdo o Tiririca dizer que não dá para falar de cabeça de seus projetos, mas que está tudo beleza, no papel. Mas é racional votar em políticos que sabem dizer de cabeça seus projetos, contratam marqueteiros com técnicas de encantamento de eleitores, mas que, uma vez eleitos, nunca mais voltam ao assunto porque sabem que não serão cobrados. E é racional que o eleitor não se lembre em quem votou na última eleição e, portanto, não cobre o que lhe foi prometido.

É um absurdo o Tiririca dizer que quer acabar com a discriminação. Mas é racional criar confusas cotas étnicas nas universidades públicas ao invés de, através de uma boa educação de base, capacitar os menos favorecidos para competir em igualdades de condições com alunos de famosas escolas pagas.

É um absurdo o Tiririca não saber quanto custa a sua campanha nem quem a financia. Mas é racional aceitar que caixa dois de campanha seja chamado de “recursos não contabilizados”, admitir lavagem de dinheiro para pagar marqueteiro fora do país e apenas achar graça de dinheiro sujo na cueca e na meia.

É um absurdo o Tiririca dizer que não sabe o que faz um deputado, a não ser que ele elabora as leis, e que não sabe nada sobre a Câmara.  Mas é racional que o eleitor não acompanhe, não monitore e não cobre o deputado em quem votou e aceite que ele se proteja atrás de um voto secreto nas decisões mais importantes do legislativo, no mais das vezes para elaborar leis que só beneficia a ele mesmo. Ou seja, é racional que a maioria do eleitorado não saiba o que faz ou fez o deputado que ajudou a eleger e não conheça o funcionamento da Câmara de Deputados , com sua mesa diretiva, comissões, regimentos internos, turnos de votação, questões de ordem, representação desproporcional, gabinetes entupidos de assessores que não precisam ir trabalhar, um quadro de funcionários de fazer inveja a grandes e rentáveis empresas, um corporativismo que nenhum sindicato ainda alcançou e, de vez em quando, algumas trocas de sopapos a bem do decoro parlamentar.

É um absurdo o Tiririca dizer que, quando ele fala que não sabe o que um deputado faz, ele está fazendo uma piada. Mas é racional que o eleitor aceite placidamente pegadinhas e piadas de mau gosto embutidas em medidas provisórias, emendas constitucionais, leis e atos administrativos, que ele só vai conhecer quando seu bolso for uma vez oficialmente tungado para pagar a conta da brincadeira.

É um absurdo o Tiririca dizer que depende de uma equipe de assessores e nem sabe direito o que eles fazem. Mas é racional aceitar que o político profissional diga que não sabe nada, não escutou, não viu nada e que toda malfeitoria foi obra de traidores e aloprados de sua assessoria.

É um absurdo o Tiririca ter como slogan “pior do que tá, não fica”. Mas é racional aceitar uma educação de péssima qualidade, o aparelhamento ideológico do Estado, não fazer nada contra as investidas à liberdade de imprensa, admitir a quebra de sigilos constitucionais, não exigir uma Justiça mais rápida na eliminação de fichas sujas, não se importar com a significativa elevação das despesas correntes do governo, não prestar atenção às mágicas contábeis que detonam a responsabilidade fiscal, não se envergonhar com o alinhamento do país com democracias populistas, ditadores sanguinários e malucos asiáticos sentados em urânio enriquecido e que apedrejam até a morte mulheres que ousaram “trair” o marido de há muito morto.

É um absurdo que o Tiririca se apresente como ele é, sem disfarces, pensando e falando como o mais simples dos brasileiros e exercendo a sua função artística de palhaço. Mas é racional que os políticos de sempre, sob o manto da seriedade, nos façam a todos de palhaços, no sentido de trouxas, imbecis e idiotas.

É um absurdo o Tiririca cometer deboches com a democracia. Mas é racional aceitar que o aliado da oposição seja do mesmo partido do vice da situação e que a dondoca vazia sexóloga e feminista esteja de braços dados com o vereador mano e pagodeiro que cobre a mulher de pancada.

Não creio que Tiririca saiba o que está fazendo. Mas, pelo menos, mesmo que inconscientemente, apesar de me deixar em dúvida se sou um absurdo por ser racional ou se sou racional por ser um absurdo, passei a ter certeza de que gosto muito mais de palhaço de circo que de político. A única coisa ruim é que, apesar do otimismo do Tiririca, pode ficar pior do que está.

FERNANDO GALLO
DE SÃO PAULO
Francisco Everaldo Oliveira Silva, o palhaço Tiririca, 45, provoca risos e indignação desde que a campanha eleitoral começou na TV.
Com o slogan “Vote Tiririca, pior que tá, não fica”, ele vai às urnas para tentar uma vaga como deputado federal pelo Estado de São Paulo.
É a grande aposta do PR no pleito, tanto que ganhou a legenda de mais fácil memorização: 2222.
Folha – Por que você decidiu se candidatar?
Tiririca – Eu recebi o convite há um ano. Conversei com minha mãe, ela me aconselhou a entrar porque daria pra ajudar as pessoas mais necessitadas. Eu tô entrando de cabeça.
De quem veio o convite?
Do PR.
Como foi?
Por eu ser um cara popular, eles acreditaram muito, como eu também acredito, que tá certo, eu vou ser eleito.
Sabe o que o PR propõe, como se situa na política?
Cara, com sinceridade, ainda não me liguei nisso aí, não. O meu foco é nessa coisa da candidatura, e de correr atrás. E caso vindo a ser eleito, aí a gente vai ver.
Quais são as suas principais propostas?
Como eu sou cara que vem de baixo, e graças a Deus consegui espaço, eu tô trabalhando pelos nordestinos, pelas crianças e pelos desfavorecidos.
Mas tem algum projeto concreto que você queira levar para a Câmara?
De cabeça, assim, não dá pra falar. Mas como tem uma equipe trabalhando por trás, a gente tem os projetos que tão elaborados, tá tudo beleza. Eu quero ajudar muito o lance dos nordestinos.
O que você poderia fazer pelos nordestinos?
Acabar com a discriminação, que é muito grande. Eu sei que o lance da constituição civil, lei trabalhista… A gente tem uma porrada de coisa que… de cabeça assim é complicado pra te falar. Mas tá tudo no papel, e tá beleza. Tenho certeza de que vai dar certo.
Quem financia a sua campanha?
Então… o partido entrou com essa ajuda aí… e eu achei legal.
Você tem ideia de quanto custa a campanha?
Cara, não tá sendo barata.
Mas você não tem ideia?
Não tenho ideia, não.
Na propaganda eleitoral você diz que não sabe o que faz um deputado. É verdade ou é piada?
Como é o Tiririca, é uma piada, né, cara? ‘Também não sei, mas vote em mim que eu vou dizer’. Tipo assim. Eu fiz mais na piada, mais no coisa… porque é esse lance mesmo do Tiririca.
Mas o Francisco sabe o que faz um deputado?
Com certeza, bicho. Entrei nessa, estudei para esse lance, conversei muito com a minha mãe. Eu sei que elabora as leis e faz vários projetos acontecer, né?
O que você conhece sobre a atividade de deputado?
Pra te falar a verdade, não conheço nada. Mas tando lá vou passar a conhecer.
Até agora você não sabe nada sobre a Câmara?
Não, nada.
Quem são os seus assessores?
Nós estamos com, com, com…. a Daniele…. Daniela. Ela faz parte da assessoria, junto com…. Maionese, né? Carla… É uma equipe grande pra caramba.
Mas quem te assessora na parte legislativa?
É pessoal do Manieri.
Quem é o Manieri?
É… A, a, a…. a Dani é que pode te explicar direitinho. Ela que trabalha com ele. Pode te explicar o que é.
Por que seu slogan é ‘pior que tá, não fica?
Eu acho que pior que tá, não vai ficar. Não tem condições. Vamos ver se, com os artistas entrando, vai dar uma mudança. Se Deus quiser, pra melhor.
Esse slogan é um deboche, uma piada?
Não. É a realidade. Pior do que tá não fica.
Você pretende se vestir de Tiririca na Câmara?
Não, de maneira alguma.
Quem é o seu espelho na política?
Pra te falar a verdade, não tenho. Respeito muito o Lula pelo que ele fez pelo nosso país. Ele pegou o país arrasado (?) e melhorou pra caramba.
Fora ele…
Quem ele indicar, eu acredito muito. Vai continuar o trabalho que ele deixou aí.
Então você vota na Dilma.
Com certeza. A gente vai apoiar a Dilma. Ele tá apoiando e a gente vai nessa.
Não teme ser tratado com deboche?
Não, cara. Não temo nada disso. Tô entrando de cabeça, de coração. Tô querendo fazer alguma coisa. Mesmo porque eu sou bem resolvido na minha profissão. Tenho um contrato de quatro anos com a Record. Tenho minha vida feita, graças a Deus. Tem gente que aceita, mas a rejeição é muito pouca.
Se for eleito, vai continuar na TV?
Com certeza, é o meu trabalho. Vou conciliar os dois empregos.
Em quem votou para deputado na última eleição?
Pra te falar a verdade, eu nunca votei. Sempre justifiquei meu voto.

3 Respostas

  1. Fábio Braun
    | Responder

    Olha sem dúvida vejo que a região Norte e Nordeste tem uma grande parte de sua população com o perfil do Palhaço Tiririca, são pessoas sofridas pelas circunstâncias sociais, economicas e politicas e estes fatos são determinantes para que estas pessoas não tenham acessos a informações ou mesmos os interesses que estão evidentes para muitos porém não estão claros para os mais desfavorecidos, este retrato do Brasil colônia ainda é muito forte nestas regiões onde tudo é resolvido (na maioria dos casos) por senhores feudais e suas trupes, então porque não um “Palhaço” de verdade concorrer a um cargo público? Fica esta dúvida para todo o Brasil.

  2. Valdir Bonfim
    | Responder

    Não deixa de ser uma tremenda piada, sou muito fã / admiro e gosto do Tiririca, porém, não deveria ser admissível ocupar um cargo de Deputado Federal, devido seu estado de total ignorância sobre a importância política que lhe seria imposta. Neste caso, nós (povo brasileiro) perderemos duas vezes: I) saída do palhaço que diverte tantas pessoas; II) entrada de um Deputado que não sabe o que tem que fazer.

  3. Marli Cunha
    | Responder

    O humorista Marcelo Madureira disse o que pensa do Lula no Manhatan Conection do dia 03 de outubro de 2010, dia da eleicao e dos reflexos que teremos desses oito anos de governo…Jah temos o reflexo disso sim…o Tiririca eh o que se espera de um governo onde a ignorancia eh comemorada. Ate entendo que o Sr. Francisco (Tiririca) representa o quanto necessitamos de recursos para educacao e incentivo cultural, mas claro que o entao, eleito deputado federal…vai ser comandado e pior se de fato, assinar qualquer coisa. Um partido desse deveria ser extinto, sabemos que o TRE-SP entrara com recurso no que se refere a denuncias e muito provavelmente, vai dar em NADA! Estou enganada?
    Pois eh, bom trabalho dos “marketeiros”, porem me surpreendo ainda com a quantidade de votos diante da figura Tiririca. O mesmo acontece com a Dilma, que sem carisma algum, influencia e iludide, nessa HIPNOSE COLETIVA . Ao menos o Lula eh um lider carismatico, porem INADEQUADO. Tai, mais um lider inadequado!
    Hoje, me preocupo alem…com a DEMOCRACIA que corre risco!

Deixe uma resposta