Para quando alguém da sua família disser que: “não tem nada que eu goste para comer hoje”.

Crise de fome recente na Somália provocou 258 mil mortes

AFP

Quase 258 mil somalis morreram de fome entre outubro de 2010 e abril de 2012, destaca um relatório da ONU divulgado nesta quarta-feira (1º).
“A fome e a grave insegurança alimentar na Somália mataram 258 mil pessoas entre outubro de 2010 e abril de 2012, incluindo 133 mil crianças com menos de cinco anos”, afirma um documento da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e da Rede de Alerta contra a Fome (Fews-Net), financiada pelos Estados Unidos.

Segundo a “primeira estimativa científica” do balanço da crise alimentar, “4,6% da população total e 10% das crianças com menos de cinco anos morreram no sul e centro da Somália”.

Nas regiões de Baixo Shabelle, Mogadíscio e Bay, as mais afetadas, a crise alimentar matou, respectivamente, 18%, 17% e 13% das crianças com menos de cinco anos.

A fome provocou 30 mil mortes por mês entre maio e agosto de 2011, segundo o estudo.

O balanço é superior ao da fome de 1992 no país, que supostamente matou 220 mil pessoas em 12 meses, mas a crise anterior é considerada mais grave por ter matado um percentual maior da população.

A fome de 2011-2012 na Somália afetou quase quatro milhões de pessoas, metade da população do país.

A crise foi provocada principalmente por uma grave seca no Chifre da África e se agravou pela catastrófica situação da segurança no país, que está em guerra civil desde a queda do presidente Siad Barre em 1991.

Deixe uma resposta